quarta-feira, 28 de novembro de 2012

DICAS PARA COMPRAR PASSAGEM DE TREM MAIS BARATO NA EUROPA


Por enquanto minhas dicas serão mais para a Europa, porque né... eu não viajo tanto assim, mas ja tive algumas experiências...

Hoje quero passar umas dicas sobre passagens de trem para o pessoal que vai passar um tempinho na Europa.

Neste link aqui você encontra informações sobre o problema de quando seu cartão de crédito não é aceito em site estrangeiro, o que aconteceu comigo, mas como eu tinha pressa, não cheguei a tentar a solução do Conexão Paris.

UMA DICA SUPER IMPORTANTE PRA QUEM VAI PRA FRANÇA E PRETENDE VIAJAR DE TREM: COMPRAR A PASSAGEM NO SITE FRANCÊS É MAIS BARATO!!!

Tipo, numa compra de R$2600,00, a diferença para a Rail Europe era de R$600,00

O texto abaixo é meio longo, mas achei cada informação valiosa, então, se você vai viajar de trem na Europa, vale muuuuito a pena ler!

Texto extraído de: http://www.viajenaviagem.com/2011/07/vai-por-mim-trem-na-europa/ 

Passagens avulsas: saiba os macetes
O melhor negócio é descolar seus trechos ponto a ponto diretamente nos sites das companhias ferroviárias européias. Comprar com antecedência no site do país no qual se origina o trecho pode garantir descontos de até 70%. Na Deutsche Bahn (Alemanha), trechos de €19 e €29 aparecem 81 dias antes da data. Na Voyages-SNCF (França), as tarifas Prem e Loisirs aparecem com 90 dias de antecipação. Na Trenitalia (Itália), as tarifas Mini (60%) dos trechos de alta velocidade aparecem com 60 dias (há leitores que estão achando com 90 dias, então comece pesquisando cedo). Na Renfe (Espanha), as tarifas Web e Estrella começam a pulular entre 120 e 90 dias antes da viagem. Você também pode xeretar ofertas nos sites do Thalys (Paris-Bruxelas-Amsterdã, com um braço Bruxelas-Colônia), NS Hispeed (Holanda), ÖBB (Áustria), SBB (Suíça), CP (Portugal), CD (República Tcheca) e TheTrainLine (Reino Unido). Para comprar passagens no Eurostar saindo de Londres, use Eurostar.co.uk; saindo de Paris, Voyages-SNCF.

Passagens avulsas: entenda as pegadinhas
Não tente comprar com antecedência demasiada: antes dos prazos descritos no parágrafo anterior, os trens (e os descontos) podem ainda não estar inseridos no sistema. (Isso é ainda mais verdadeiro no fim do ano, quando todos os sistemas meio que param à espera da mudança de horário de inverno, que acontece lá por 10 de dezembro.) No Voyages-SNCF, não saia da versão francesa; se você mudar para a versão inglesa, vai ser redirecionado ao site do TGV internacional, onde os descontos mais polpudos não aparecem.  Na Deutsche Bahn, as passagens com origem fora da Alemanha (por exemplo: Praga-Berlim) não dão direito a e-ticket; a entrega então é só pelo correio, que leva três semanas até o Brasil. Na Trenitalia, reserve os trechos em alta velocidade separadamente dos trechos regionais (que não oferecem descontos grandes porque já são normalmente baratos — obrigado, André Lot). A mesma coisa vale para passagens a Bruges; para conseguir desconto, compre a passagem até Bruxelas (o trecho regional quase não varia de preço e pode ser comprado na hora; não há reservas neste trecho). O maior problema os sites das cias. ferroviárias européias é que muitos deles (Renfe e Trenitalia, sobretudo) encrencam com cartões emitidos no Brasil. A querida blogueira Dri Setti, que mora em Barcelona, descobriu que o Diners Club é aceito sem problemas na Renfe; quem não tiver o cartão pode tentar os trechos espanhóis mais importantes no site de reservas Atrapalo.com.

Onde comprar em português
Caso você não queira esquentar a cabeça com sites estrangeiros e esteja disposto a pagar pelo serviço, há ferramentas próprias para brasileiros. A própria RailEurope (o consórcio de companhias ferroviárias liderado pela SNCF francesa) tem um site em português do Brasil; a TT Operadora é outro revendedor tradicional. Ambas aplicam sobretaxas aos trechos vendidos, mas de um tempo para cá já emitem passagens online em algumas ferrovias (antigamente as passagens vinham pelo correio).

Com relação ao desconto, vale muito a pena ficar de olho, pois você consegue comprar passagens de primeira classe pelo preço de segunda classe e numa viagem de 6 horas como Lourdes vale muuuuito a pena! =D

No mesmo site (Viage na viagem) encontrei também a seguinte informação:

Diz o Ricardo Freire:

Avião: para roteiros abrangentes

Se você está pensando numa daquelas viajonas em que vai ouvir cinco ou seis idiomas pelo caminho, programe-se para fazer muitos trechos de avião.

Na Península Ibérica as distâncias podem ser enormes; a Itália fica bem mais longe do que se imagina. Voar é a melhor escolha entre Lisboa, Madri e Barcelona; da Andaluzia a Barcelona; de Portugal e Espanha a Paris e à Itália; de quase toda a Europa à Inglaterra (bem-servida por vôos baratos), ao Leste Europeu (onde as ferrovias são lentas) e à Grécia (com acesso complicado por terra ou mar).

Existem duas maneiras de comprar os vôos “internos”. Eles podem ser incluídos na passagem Brasil-Europa (sai menos caro do que parece; peça para um agente de viagem orçar), ou comprados avulsos, em companhias aéreas “low-cost” (pesquise no Skyscanner).

Trem: viagens curtas e práticas

Não existe modo mais civilizado (e europeu!) de viajar. Com o trem você sai e chega pelo centro das cidades, não perde tempo com controles de segurança e tem a garantia da pontualidade.

Em viagens curtas, o trem é imbatível; para percursos de até 4 horas, você só não deve ir de trem se conseguir uma tarifa muito mais barata de avião. Viagens longas, porém, são maçantes. E o trem noturno é uma maneira quase infalível de chegar bastante cansado à sua próxima escala.


Depois de ler isso, uma viagem de trem entre Espanha e Portugal foram por água abaixo...
 
É isso aí gente! Ainda essa semana eu posto sobre minha chegada em Roma! ^-^


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário